14 de dez de 2008

A + B = ?

Eu adoro discutir. Não no sentido de brigar, mas conversar até cansar o oponente. Argumentar até que acabem os vocábulos no dicionário. Irritar o âmago do ser de quem encontra-se contra mim.

Ter razão em uma discussão é uma mistura de conhecimento e maestria para usar os argumentos certos na hora certa. Também não adianta dar uma de otário e querer falar do que não sabe.

Mas o fato é que há algumas discussões que são casos perdidos. Não adianta nem começar, porque essas só tem começo. Não tem meio e fim. E aí acaba resultando em desentendimentos, brigas, inimizades e em alguns casos até em tiro e facada.

O homem argumenta desde a época do fogo. Argumentos dependem do ponto de vista, e no caso de maridos e esposas, depende do que a esposa pensa. Para fazer parte da lista, o argumento deve ter algo que não possa ser contradito por alguém que pensa da forma oposta.

1. Evolução ou Criacionismo? Essa talvez seja uma das discussões mais estúpidas. A ciência prova através do conhecimento e das pesquisas, muito do que era mito ou lenda. Os que acreditam no Criacionismo, o fazem por pura fé e devoção. Por um tempo acreditou-se que a terra era o centro do universo, porém quando isso foi provado não ser verdade, criaram-se dúvidas a respeito da criação divina. Mas uma coisa é certa: essa discussão se arrasta por séculos, pois a ciência não pode provar a não existência de Deus, portanto, não pode negar que Ele exista. Sendo assim, discutir sobre qual teoria é a correta pode acabar fritando seu cérebro.

2. Genética ou Meio? O que define o comportamento de um ser humano? A sua genética ou a forma como ele é criado? Alguém nasce assassino ou a sociedade molda sua personalidade a ponto de transformá-lo num psicopata que não valoriza a vida? Se você vive em uma família de engenheiros, você esá geneticamente destinado a isso ou a forma como sua família lhe cria é quem define sua vontade? Se dois gêmeos são separados no nascimento e acabam tornando-se pessoas parecidas, isso é genética ou eles foram criados da mesma forma? É natural ou comportamental gostar de comida apimentada quando todo mundo a sua volta come isso?

3. Posse de armas. Não são as armas que matam as pessoas, são as balas. Parece idiota, mas é verdade. As armas nas mãos de cidadãos comuns são perigosas pois podem gerar acidentes domésticos, nas escolas e durante assaltos essas armas podem parar nas mãos dos bandidos. Mas em contrapartida muitos cidadãos de bem possuem armas e nunca infringiram a lei. Por que uns devem pagar pelos erros dos outros e privar-se do direito de portar armas? Ou qual seria o motivo para portar armas se a maioria dos cidadãos procura viver dentro da lei?

4. Eutanásia. O Dr. Kevorkian, mais conhecido como Dr. Morte ajudou dezenas de pessoas a partirem dessa para uma melhor. Seus motivos foram questionados pois toda e qualquer vida deve ser considerada preciosa, mas alguns de seus pacientes quiseram abrir mão de uma forma extremamente debilitada e sofrida de vida. E se esses pacientes não pudessem se manifestar e nós é que tivéssemos que escolher entre eles viverem em agonia e dor ou morrerem em paz negando-lhes uma injeção ou um procedimento, qual seria a melhor opção?

5. Pena de morte. Antigamente, a lei era baseada praticamente no olho por olho, ou uma vida pela outra. Mas a sociedade não avançou o suficiente a ponto de criar formas de julgamento eficientes de maneira que a pena de morte seja banida? E os direitos humanos? Quando uma pena de morte é justificável? A pena de morte é apropriada para um homícidio acidental ou para um assassinato em massa?

6. Aborto. Quando a vida começa? Na concepção ou no nascimento? Com quantos meses de existência um feto já pode ser considerado um ser vivo? Um feto sem cérebro sente dor? Uma mulher não deveria ter o direito de controlar o próprio corpo e decidir se quer dar a luz ou dar um fim aquela vida que irá surgir? E quando a mulher é estuprada, aquela vida ainda será preciosa? E os que são a favor da vida em todas as instâncias, o que aconteceria se fosse com eles?

7. Livre arbítrio ou destino? Essa discussão começa na doutrina que acredita que Deus é onisciente e sabe tudo o que acontece. Mas se Deus sabe tudo, é o livre arbítrio ou o destino que escolhe se você vai continuar em frente? Alguns diriam que Deus sabe que você vai continuar em frente mas ainda assim você tem a escolha. Porém, se o seu destino está escrito e não há como mudar, isso contradiz com o fato de que tomamos diversas decisões que influenciam o resultado da nossa vida diariamente.

8. Valores. Relativos ou Universais? Mais ou menos como na questão das armas, a relatividade ou universalidade dos valores referem-se ao momento em que o bem de um supera o bem da maioria. Em algumas sociedades é normal o homem ter diversas esposas, em outras isso é considerado crime ou adultério. Então o problema é que os valores tornam-se relativos dependendo da sociedade ou da pessoa. Mas por que não deveria ser considerado errado dormir com mais de uma esposa em todas as sociedades? Por que as pessoas são consideradas honestas se nunca mataram alguém ou roubaram uma bolsa mas pirateiam dvd´s em casa e baixam músicas sem pagar os direitos autorais? Por que um crime é mais errado do que o outro?

9. O ovo ou a galinha? A discussão mais engraçada de todas, quem veio primeiro, o ovo ou a galinha, é talvez a discussão mais sem futuro e antiga que exista. Como surgiu a primeira galinha? Ela era mamífera e depois passou a botar ovos? Qual foi a primeira galinha que botou ovo? E se o ovo veio primeiro, veio de quem?

10. Deus existe? Mais ou menos como com o criacionismo e evolucionismo, essa discussão é sem fim. Desde que o mundo é mundo, há gente querendo provar que existe um ser superior, uma força regente, uma figura por trás de nossa existência controlando a tudo e a todos. Muitos aceditam que há alguém nos esperando em algum lugar quando morrermos. Desde pequenos acreditamos que não estaremos sozinhos depois de nossa morte, e teremos algum lugar e alguém para nos acompanhar. Então a questão é, como você, seja lá qual for a religião que você acredita, pode provar que Deus existe? E quanto a você, ateu/agnóstico, como provar que Ele existe?

Nenhum comentário: