7 de set de 2008

Fedelhices

1) Secar pneu de carro: todo pirralho non sense que se preze, tem que secar pneu de carro alguma vez na vida. Os mais filhinhos da puta secam até mais de um, o que causa desespero para quem é presenteado com a surpresinha.

Coragem: 6
Non sense: 8
Castigo se for pego: 5 chineladas na mão e 1 semana sem videogame.

2) Trocar 1 dinheiro por 2 dinheiros: aqui vale a lei do mais inteligente. Quem for sacaneado trocando 1 dinheiro (50 real) por 2 dinheiros (2 de 10 real) merece o Darwin Awards.

Coragem: 3
Non sense: 6
Castigo se for pego: 1 mês sem mesada.

3) Roubar boneco do comandos em ação: conheço alguns aprendizes de Beira-Mar que com 1 semana de aula podiam montar uma rede de fiteiros vendendo confeito. Meia hora camperando a barraquinha e não sobrava um xaxá. Uma piscada que o dono do fiteiro desse voava uma caixa de Zorro. Mas o grande prêmio mesmo era ir pras Lojas Americanas, comer uns 20 batom garoto e depois sair com um boneco Gi Joe no bolso feliz da vida.

Coragem: 9
Non sense: 10
Castigo se for pego: surra de fivela de cinto.

4) Comprar brinquedo de pirralho com dinheiro de salgadinho: pirralho non sense de verdade lembra daqueles salgadinhos estilo Micão que vinham em sacos pequenos. Uns tinham uma mini-bexiga, outros tinham aqueles dinheirinhos fake estilo Banco Imobiliário que a gente colocava pra estufar a carteira. Mas o punk mesmo era chegar num pirralho mais novo, que acabou de ganhar um boneco novo e "comprar" o brinquedo. Dá uma idéia no moleque do tipo "quer ficar rico? Pago 100 mil no teu boneco. Olha aqui o dinheiro." Até os pais dos dois entenderem tudo, já deu pra brincar até enjoar com o novo boneco do He-Man.

Coragem: 5
Non sense: 10
Castigo se for pego: devolver o boneco e levar um puxão de orelha.

5) Tocar a campainha e correr: essa é clássica. Por sinal fui vítima disso por dois moleques pentelhos do apartamento vizinho. Tocaram e correram. Como eu tava na cozinha ainda vi os merdinhas dando o lavra. Vou deixar quieto só porque não se vê mais isso hoje em dia.

Coragem: 7
Non sense: 4
Castigo se for pego: um cascudo do dono da casa/apartamento.

6) Secar extintor de incêndio do predio: vou explicar de forma bem simples. Extintor de prédio não serve nem nunca serviu pra apagar incêncio. Alguém já viu alguém conseguir conter o fogo num apartamento com aqueles cilindros? É a mesma coisa que querer salvar o carro com o extintor que tem embaixo do banco do carona. É ridículo. Sabendo disso, pirralho que é macho mesmo não desperdiça aquele precioso talco e tira toda a sujeira dos andares deixando eles branquinhos. Melhor que Omo.

Coragem: 10
Non sense: 9
Castigo se for pego: 1 ano sem mesada pra pagar a recarga e surra de fivela de cinto.

7) Estourar muro com rojão: ah, o são joão... Nada como um saco com 100 peido de véia por 3 reais. Confesso que não sei como aguentei essa fase. Hoje com um barulho de fogos qualquer, já perco a paciência e encarno o capeta. Mas com 11 anos você descobre que o nirvana pode ser alcançado com o som de fogos explodindo e uma lata de leite ninho voando a 20m de altura. Estourar muro em construção com rojão é praticamente sexo tântrico para esse pequeno soldado da destruição.

Coragem: 9
Non sense: 10
Castigo se for pego: ajudar a refazer o muro e surra de mangueira.

8) Cuspir da varanda: cuspir é um ato praticado pelo ser humano com a maior naturalidade. Mas qual é a graça de dar aquela goipada caldalosa no chão, se esta pode trazer um prazer lascivo se atingir a testa de um transeunte?

Coragem: 2
Non sense: 8
Castigo se for pego: sermão, 1 semana de castigo sem poder brincar.

9) Jogar bola de encher cheia de mijo: essa eu admito. Pense numa filha da putice. Cansei de ver gente tendo que ir trocar de roupa quando ia pra uma festa porque simplesmente algum fedelho sem cabelo no saco descobriu que mijar numa bexiga e sacudir ela nos passantes é divertido.

Coragem: 11
Non sense: 12
Castigo se for pego: 1 mês sem descer, 1 mês sem tv, 1 mês sem videogame, 1 mês sem mesada e 1 mês na solitária de alcatraz se fosse possível.

10) Enterrar ovo pra jogar nos outros: essa merece um desconto. O povo anda no meio do mijo em Olinda, não pode reclamar de levar uma ovada com coloral só porque o ovo foi enterrado uma semana antes. Tá na chuva é pra se ovar. Só é sacanagem se o alvo da ovação for um ônibus da borborema.

Coragem: 7
Non sense: 9
Castigo se for pego: comer o ovo com arroz.

11) Fazer bomba de cano com água de privada: pra essa aqui vale a regra da anterior. Nem adianta chorar que levou água de privada na cara ou no cabelo. Lava com Neutrox que fica novinho.

Coragem: 5
Non sense: 6
Castigo se for pego: beber 2 copinhos da água do cano pra matar a sede.

12) Apertar todos os andares do elevador: essa é café com leite. Até adulto faz de vez em quando. Só tem alguma graça se alguém se cagando estiver chegando pra dar aquela barrigada. Nada como ver a cara do pobre diabo sofrendo com o elevador parando de andar em andar. Melhor ainda se ele morar no 21o. Só não vale fazer como eu fiz, que estava subindo pra casa e resolvi "sacanear" apertando todos os andares. O detalhe é que eu é quem estava subindo...

Coragem: 1
Non sense: 1
Castigo se for pego: nenhum.

Um comentário:

Eden Wiedemann disse...

Vou adcionar algumas que considero clásssicas tbm.

1. Colocar batata no escapamento do carro do vizinho. Era uma onda ouvir o "papoco" e ver a reação do Zé Ruela que achava que o mundo estava desabando.

2. Jogar papel higiênico molhado da varanda. Diferente de cuspir, onde havia só prazer da goipada, o papel higiênico precisava de uma certa técnica. Primeiro você fazia uns cinco ou seis bolas grande e meladas e uma menor. Ao ver um incauto entrando na área de risco você lança a menor com intenção de errar. Conte até dois e jogue o resto. Quando o primeiro cai no chão o alvo, acreditando ter escapado, olha pra cima pra lhe chamar de filho de uma puta e é atingido por uma saraivada de papel molhado.

3. Atolar merda no buraco de devolver ficha dos antigos orelhões. Enchiamos o buraquinho de bosta e ficavamos por ali, de bobeira, esperando alguem tentar recuperar a ficha após o sinal de ocupado. Sempre, repito, sempre a vítima, enquanto xingava meus parentes até a quinta geração, limpava os dedos no própio orelhão, criando uma obra de arte fedorenta.

4. Encher lata de pedra. Enchiamos a lata de pedra e deixavamos na rua. Sempre vinha um corno pra chutar a lata e quebrar os dedos dos pés. Funcionava bem com caixa de sapato e bolas de meia.

5. Encher saco de pão (aqueles de papel marrom) de merda, por na porta do vizinho, atear fogo e tocar a campainha. Aí é só ir pra longe e se divertir com o vizinho tentando apagar o fogo pisando e espalhando toda aquela bosta quentinha.

E a obra de arte:

5. Apartando a briga. Essa precisava de toda uma preparação e encenação.

a) Primeiro um pedaço de pau, podia ser um cabo de vassoura. Depois merda, de preferência de gato (cujo cheiro não sai mais nem por decreto). Mela-se o pau de merda deixando limpo apenas um pequeno espaço onde um dos meliantes vai segurá-lo.

b) Agora é juntar mais uns 5 amigos. Dois deles encenam uma discussão, os outros três ficam em volta agitando. Logo alguns curiosos vão juntar em volta.

c) Um dos brigões está segurando o pau (não o que você pensou, aquele que foi melado de merda) e começa a encenação.

- vai, cai dentro, vem levar umas lapadas.
- É, você é macho assim porque tá com esse pau na mão. Larga essa merda se você for homem.
- Pra você pegar? E eu sou otário?
- Dê aí a os caras!
- Eles são seus amigos, ta pensando que sou otário?

É fato, um dos curiosos vai se oferecer pra segurar o pau, sedento de sangue, querendo ver o cacete comer.

O meliante que esta com pau o estende para o otário, espera ele segurar com vontade e puxa deixando aquela rodela grossa de merda nas mãos do caboclo.

Agora é tentar correr morrendo de rir (coisa desnecessária quando se arma essa presepada com umas 10 pessoas - melhor com a mão melada de merda que melado e apanhado, pensa a vítima)